Raul Jungmann | Deputado Federal (PPS-PE)
Teori diz a deputados que presidente pode ser investigada
Raul comemora aprovação de alternativa ao fator previdenciário
Raul Jungmann confronta meta de superávit primário de Levy
  • Digitalizar0001IBAMA - A defesa do meio ambiente

    Quando assumiu a Presidência da República, Fernando Henrique Cardoso convidou Raul Jungmann para assumir a presidência do Ibama. O combate à grilagem de terras e a preservação ambiental começaram a ter prioridade no período em que Raul esteve à frente da Autarquia Federal. A partir do combate à grilagem de terras, o INCRA conseguiu transferir para o Ministério do Meio Ambiente 20 milhões de hectares, uma área maior que Portugal. Em parte destas terras, foi criada, na Amazônia, a Reserva de Tumucumaque, a maior do mundo em floresta tropical.

  • Digitalizar0002MINISTRO - O desafio da Reforma Agrária

    Em maio de 1996, Raul Jungmann foi convocado pelo presidente Fernando Henrique Cardoso para resolver um dos mais delicados problemas de todos os últimos governos: a política de Reforma Agrária. Assim, ele assumiu o Ministério Extraordinário de Política Fundiária, transformado em 2000 em Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), e impôs um novo ritmo ao programa. No cargo, realizou a maior reforma agrária da história do Brasil sem uso da força e rigorosamente dentro dos princípios democráticos. De 1995 até 2002, ou seja, nos dois governos de Fernando Henrique, foram assentadas cerca de 600 mil famílias, mais do dobro do resultado obtido nos trinta anos anteriores. Nos últimos seis anos daquele governo, o Ministério distribuiu 20 milhões de hectares para reforma agrária, praticamente igual ao que foi conseguido entre os anos de 1964 a 1994.

  • DEPUTADODEPUTADO FEDERAL

    Entre os anos de 2003 a 2010, Raul atuou como deputado federal por dois mandatos consecutivos. No seu primeiro mandato de deputado federal, Raul Jungmann foi vice-presidente da CPI das Sanguessugas, que desbaratou uma quadrilha que atuava junto ao Ministério da Saúde. A CPI denunciou inúmeros integrantes desse esquema, que envolvia parlamentares, empresários e funcionários públicos, encaminhando a denúncia ao Ministério Público Federal. Raul Jungmann foi um dos autores da Proposta de Emenda Constitucional (PEC), aprovada no início de 2006, que colocou fim ao pagamento de "jetom" aos deputados e senadores quando ocorriam as convocações extraordinárias do Congresso Nacional. Com a aprovação desta emenda constitucional, a Nação não precisou mais pagar salários extras aos seus parlamentares quando o Congresso convocâ-los para trabalhar nos períodos de recesso.

  • desarmamento_02DESARMAMENTO – EM DEFESA PELA VIDA

    Um dos maiores acontecimentos no meio político em 2005 foi o Referendo sobre o comércio de armas de fogo e munição no País, que teve como secretário-geral da Frente Brasil Sem Armas, o deputado federal Raul Jungmann. Ele exerceu um papel fundamental na aprovação do Projeto de Decreto Legislativo 1274/04, que autorizou a realização da votação em 23 de outubro de 2005, ao pedir regime de urgência no encaminhamento do projeto. Desde o início da tramitação do projeto na Câmara Federal, Jungmann foi um dos maiores defensores da proposta que defendia a proibição definitiva da comercialização de armas em todo o território nacional. Jungmann avalia que o trabalho realizado pela Frente Brasil Sem Armas produziu importantes desdobramentos, como o debate em torno de uma cultura de paz e de uma sociedade sem armas.

  • timelineVEREADOR DO RECIFE

    Vereador eleito no Recife em 2012 com 11.873 votos. Teve uma atuação destacada em defesa da mobilidade urbana, da saúde pública, do meio ambiente e do patrimônio histórico-cultural. Entrou com representação no Ministério Público de Pernambuco contra o fechamento das Unidades de Saúde da Família (USFs) às sextas-feiras. Depois da denúncia, houve uma redução significativa das unidades fechadas. Também lutou pela instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI do Busão) na Câmara Municipal para investigar as empresas que controlam os ônibus que circulam pela cidade, abrindo a caixa-preta dos transporte públicos. Ainda denunciou a sonegação de mais de mil viagens diárias pelas empresas de ônibus, prejudicando mais de 1 milhão de passageiros da Região Metropolitana. O Ministério Público abriu inquérito civil. A campanha ficou conhecida como #NãoSomosSardinhas.

  • jungmanncoletiva1DEPUTADO FEDERAL

    Regressa à Câmara Federal em 2015, após ser eleito com 36.866 votos. Tem atuado no combate à corrupção e à violência, além de defender pautas prioritárias para o desenvolvimento socioeconômico de Pernambuco.

Raul Jungmann lamenta queda da Petrobras para 416ª

O deputado federal Raul Jungmann (PPS-PE) lamentou a queda da Petrobras na lista das maiores empresas do mundo, publicada anualmente pela revista Forbes. A petroleira caiu da 30ª, em 2014, para a 416ª posição no ranking neste ano. Em 2012, a companhia chegou a ocupar o 10º lugar. Leia Mais…

O QUE TEM DE CERTO E O QUE TEM DE ERRADO NESSA FOTO?

PS: Para o "Revoltados online", Aécio/PSDB trairam o Brasil ao não pedirem agora o impeachment de Dilma
... Leia MaisVeja Menos

Veja no Facebook

REPRESENTATIVIDADE POLÍTICA

Li uma entrevista muito interessante com o sociólogo espanhol Manuel Castells, autor do livro “Redes de Indignação e Esperança – Movimentos Sociais na Era da Internet”, ontem, na Folha de São Paulo, e gostaria de discutir com vocês um dos assuntos levantados: a crise da representatividade.

Para ele, “há uma insatisfação com toda a classe política. E isso não significa que se acredite que todos os políticos sejam corruptos, mas sim que há uma classe política que está separada da cidadania, que é formada por profissionais que têm um interesse comum: o monopólio da política da corrupção”.

Nos últimos anos, realmente tenho notado que o sistema político atual está muito distante dos anseios da população brasileira. A credibilidade da maioria dos políticos está em baixa e cada vez mais as pessoas deixam de acreditar em melhorias e transformações socioeconômicas através do modelo vigente.

Por isso, quero saber, na sua opinião, como mudar esse cenário? Como a política pode se reaproximar do povo, fazendo-lhe sentir-se representado? Deixe seu comentário.

Leia a entrevista na íntegra em http://goo.gl/JRzO6a.
... Leia MaisVeja Menos

Veja no Facebook

Fui convidado para participar no município do Moreno de um debate sobre a Reforma Política. Discutir com a população e os vereadores do município os benefícios e malefícios dessa PEC que tramita na Câmara e deve ir para votação na próxima semana. ... Leia MaisVeja Menos

Veja no Facebook

Ontem, subi novamente no Plenário Da Câmara Dos Deputados para cobrar a investigação da presidente Dilma Rousseff por ser citada 11 vezes nas delações premiadas da operação Lava Jato.

Logo depois, fui ao encontro do ministro do STF, Teori Zavaski, para pedir que ele levasse ao colegiado da corte um agravo regimental apresentado pelo PPS no qual o partido defende a investigação da Presidente.

É importante lembrar que o procurador-geral, Rodrigo Janot, a princípio, disse que não poderia investigar a presidente Dilma porque ela está blindada pelo cargo, por previsão constitucional, porém, na conversa, Teori Zavascki declarou que concorda com a jurisprudência da corte de que os presidentes da República podem ser investigados.

Para que ocorra a investigação é necessária uma acusação, que deve ser feita pela Procuradoria-Geral da República. Já está sendo investigado pela Lava Jato em Curitiba o fato que envolve o ministro Palocci e um pedido de doação de R$ 2 milhões para a campanha de Dilma em 2010.

É preciso apurar os fatos, nós insistimos que cabe a investigação!
... Leia MaisVeja Menos

Veja no Facebook

INSTAGRAM


CÂMARA DOS DEPUTADOS – Eixo Monumental, 3273 – Praça dos Três Poderes, Brasília – DF, Brasil